Como inserir o marketing sensorial no seu comércio?

O marketing sensorial procura estimular os diferentes sentidos, para que uma empresa conquiste a atenção de seus clientes.

Uma atmosfera de vendas perfeita é criada para desenvolver um funil com base na subjetividade e personalização.

Existem muitas estratégias de marketing que são voltadas para um processo natural de compras, que entrega mais autonomia para o cliente.

Um exemplo disso é o Marketing de Conteúdo, porém o Marketing Sensorial também é uma excelente estratégia a ser considerada.

Quando a marca trabalha os cinco sentidos de seu cliente – visão, audição, tato, paladar e olfato –, a possibilidade de fechar negócios é muito maior.

Quando está inserido no processo de compra, o cliente entra em contato com o produto de maneiras muito complexas. Elas são impactantes e não se mantêm restritas à visualização.

Sendo assim, envolve outros sentidos que colaboram na hora de atrair a atenção do consumidor e despertar o seu desejo de compra. Mesmo sendo algo tão importante para o comércio, algumas empresas ainda não conhecem esse tipo de ação.

Pensando nisso, neste artigo, vamos falar sobre o que é marketing sensorial, sua importância e como ele pode ser usado pelo comércio.

O que é Marketing Sensorial

O Marketing Sensorial tem como objetivo estimular os cinco sentidos humanos. Cada um deles contribui para criar uma oportunidade de vendas, com foco na subjetividade.

Estes sentidos não estarão diretamente ligados ao negócio, mas ajudam a despertar a necessidade de compra, por meio de estímulos.

Uma loja de materiais elétricos pode trabalhar esses sentidos em conjunto, de maneira harmônica, ou separadamente, com aqueles que fazem mais sentido para os negócios.

Como os 5 sentidos funcionam no marketing?

Entendendo o conceito de Marketing Sensorial, também é importante compreender como os 5 sentidos funcionam com ele.

Olfato

O olfato é muito importante, porque os cheiros trazem lembranças. Quando bem trabalhados, são instantaneamente associados pelo cliente.

Empresas que trabalham com alimentos, como restaurantes, padarias, pizzarias, etc. têm em mãos tudo o que precisam para trabalhar o olfato dos consumidores.

Por outro lado, é mais difícil fazer isso com quem quer comprar piso laminado ou por empresas que não sejam do ramo alimentício. Como definir o cheiro de uma marca? A resposta pode até existir, mas nunca foi explorada.

Quando a empresa trabalha com estratégias de branding ela conhece sua marca, seu comportamento e qual imagem quer transmitir.

Com isso, é possível selecionar alguns aromas e uni-los para marcá-los, tornando o cheiro inesquecível na mente do consumidor.

Por exemplo, uma loja de roupas infantis pode escolher aromas adocicados que remetem a doces, que as crianças adoram.

Paladar

Mais um ponto positivo para os negócios do ramo alimentício, mas que se bem explorado por outras empresas se torna uma forte estratégia.

Podemos pensar, por exemplo, em uma clínica de estética que ofereça café, suco ou um lanchinho para os clientes enquanto eles aguardam os procedimentos.

O momento de espera se torna mais agradável e, se porventura, demorar além do planejado, isso esconde essa falha ou, pelo menos, reduz o impacto negativo dela.

Visão

A visão é muito importante para o reconhecimento da marca. Os conceitos de identidade visual são justamente sobre isso, daí a necessidade de criar uma unidade para a marca.

Toda vez que o cliente ver cores, fontes ou formas, vai se lembrar dela. Para as pessoas que procuram por móveis planejados preços é importante que os pontos de venda desses móveis trabalhem com esse sentido.

Um exemplo disso é a vitrine, a maneira como ela é decorada, a disposição dos móveis e outras características despertam sensações e estímulos.

Os supermercados entendem bem essa importância, por isso dispõem as  gôndolas de maneira bem pensada, para despertar a necessidade de compra no cliente.

Tato

Apesar de parecer o mais difícil de ser explorado, o tato muitas vezes é desenvolvido sem querer pelas marcas.

Podemos voltar no exemplo da loja de móveis planejados. As pessoas vão querer se sentar no sofá, abrir as gavetas do guarda-roupas, etc.

Também podemos voltar para a clínica de estética, que se preocupa em investir em cadeiras confortáveis para que os clientes aguardem o atendimento.

Provadores de loja também fazem parte do tato no marketing sensorial, uma vez que quando eles são amplos e espaçosos, diminuem aquela sensação claustrofóbica.

De qualquer forma, tocar em um produto antes de comprá-lo faz toda a diferença. Essa é uma das razões pelas quais muita gente ainda prefere comprar nas lojas, do que pela internet, mesmo que sejam produtos naturais atacado.

Audição

Não é de hoje que as lojas usam playlists pensado no seu público. Por exemplo, uma loja de roupas para jovens põe para tocar as músicas do momento, que fazem sucesso entre eles.

Além de escolher o que tocar, também é importante saber em que volume colocar e a disposição das caixas de som.

Importância do Marketing Sensorial para o comércio

A importância do Marketing Sensorial para o comércio pode ser explicada por meio de alguns benefícios trazidos por ele, tais como:

  • Criar vínculos com o consumidor;
  • Explorar bem os produtos;
  • Estimular o desejo de compra;
  • Fidelizar e encantar os clientes;
  • Desenvolver a identidade da marca.

Esses benefícios não podem ser alcançados, por exemplo, por meio de estratégias mais tradicionais, como propagandas na TV.

Até mesmo as estratégias do Marketing Digital conseguem chegar tão fundo nos sentimentos dos consumidores.

Ele abriu portas para uma concorrência maior, o que obriga as empresas de todos os setores, como uma desenvolvedora de software para bares, a criarem experiências mais genuínas para os clientes.

Isso é ir além de apresentar um produto ou serviço listando os seus benefícios, é deixar que eles falem por si. Tudo por meio do estímulo de sensações como aconchego, bem-estar e positividade.

Tais ambientes e situações propícias fazem com que o cliente se lembre da marca onde ele estiver, seja com uma música, um cheiro específico, um sabor, etc.

Como o Marketing Sensorial pode ser usado pelo comércio

Os pontos de venda podem usar os sentidos de seus clientes de muitas maneiras, tais como:

Pela visão

A visão é, sem dúvidas, o sentido mais explorado por uma loja. Por exemplo, o uso de adesivo para vitrine é uma maneira de chamar a atenção dos clientes.

A disposição dos produtos no interior da loja, bem como a iluminação usada nela, a decoração e a mobília também fazem parte desse processo.

É importante explorar bem as cores. Por exemplo, as mais vibrantes, como o vermelho, despertam sentimentos como entusiasmo e paixão.

Azul e bege trazem mais serenidade e conforto. Tudo isso deve ser pensado na hora de montar o PDV.

Pelo olfato

Os aromatizantes são excelentes para as lojas que não fazem parte do comércio alimentício – onde o cheiro dos alimentos, normalmente, predomina.

No entanto, numa loja de equipamentos de ginástica que venda aparelhos de pilates, por exemplo, é possível criar um clima agradável por meio dos aromas. Neste caso, um aroma energético é mais indicado.

Numa loja de roupas e móveis para bebês, um aroma suave, que lembre perfume de bebê é mais recomendável.

Pela audição

O som impacta diretamente o humor das pessoas, o que configura a experiência do cliente na loja como positiva ou negativa. Por isso é importante saber escolher a música de acordo com as características do público.

As lojas de vestuário são as que mais apostam no marketing sensorial pela audição, pois sabem que, fazendo a escolha certa, o cliente é estimulado a comprar mais.

Pelo paladar

Provar comidas e bebidas é uma das coisas que as pessoas mais gostam de fazer. Por isso, ao fazer uma promoção de pisos e revestimentos, a loja pode oferecer balas e chocolates personalizados para os clientes.

Água e café também fazem toda a diferença e, em algumas situações, até mesmo um pequenos coquetel para celebrar o aniversário da loja, lançamento de produto, etc.

Pelo tato

Tem gente que não consegue comprar roupa pela internet, porque precisa experimentar. Isso é mais comum do que se imagina, mas não apenas com a roupa.

As lojas de equipamentos eletrônicos sabem muito bem disso, então deixam disponíveis os aparelhos em balcões para que os clientes possam tocar, olhar as funcionalidades, etc.

As lojas de móveis deixam à disposição da clientela os móveis para que eles possam se sentar, olhar divisões de estantes, guarda-roupas e armários, além de conhecerem a textura do material.

Tudo isso traz para os consumidores uma sensação de segurança que, muitas vezes, apenas ver o produto não lhe garante.

Conclusão

O Marketing Sensorial é cheio de possibilidades e traz para o comércio maneiras mais fáceis e sutis de comunicação com o cliente.

Ele se sente mais satisfeito e a marca melhora a sua imagem consideravelmente.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Leia Também:

Qual a importância do SAC SAC no processo de fidelização do cliente?

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *